Josephus Laurentius Dyckmans The Blind Beggar

Mais ninguém, senão Jesus

“E, erguendo os olhos, eles não viram mais ninguém senão Jesus.” (Mt 17.8)

Hoje, mais do que nunca, precisamos voltar nossos olhos somente para Cristo. Nos distraímos com tanta facilidade com os absurdos da nossa época. Chocados, sussurramos as depravações de um mundo caído. E em meio a todo esse espanto, muitas vezes esquecemos de nos maravilhar com Cristo.

Já são milhares de anos que o mundo vem se corrompendo. Cada geração redescobre as mesmas perversões. De fato, o cristão não pode se fazer de bobo, fingindo que não as vê, nem entende suas implicações. Não podemos fechar nossos olhos perante um mundo que se afoga.

Entretanto, não basta abrir os olhos. Precisamos direcioná-los a Cristo. Precisamos ser maravilhados com a glória do único Filho de Deus e, através desta verdade, enxergar o mundo como ele é: um palco, um cenário, um teatro aonde nosso Salvador, o soberano vitorioso, apresenta a história mais linda já contada. A história da sua graça, misericórdia e salvação.

Nossa oração, “Vem logo, Senhor Jesus” é um clamor para que nosso Salvador acabe com as distrações momentâneas, assim sendo único alvo da nossa atenção. Ninguém mais, senão Jesus!

[Arte: “The Blind Beggar” – Josephus Laurentius Dyckmans, c. 1853]