Jovens a espera de respostas

Eventualmente, todo jovem cristão será levado a refletir sobre uma destas perguntas. Seus professores de faculdade, os astros de Hollywood e milhares de sites na internet já estão com respostas prontas. Sua igreja está preparada?

  • Porque acreditar num texto que tem mais de 2mil anos e foi copiado milhares de vezes?
  • Porque só o Cristianismo é verdadeiro se existem zilhões de religiões e religiosos sinceros?
  • Será que o Cristianismo é tão real assim se existem cristãos que fazem coisas terríveis?
  • Será que o Evangelho é exclusivista?
  • Se Deus existe de fato porque ele não se revela de forma mais óbvia?
  • Existem não-cristãos que trabalhem em prol de um mundo melhor e uma sociedade mais justa. Que diferença faz se sou cristão ou não?
  • Porque sou permitido a sentir certas vontades se Deus não me permita a satisfazê-las ou expressá-las?

Um Campo Missionário Chamado ‘a Internet’

Dois dados para te deixar de boca aberta:

— 20% da população mundial tem conta no Facebook.
— Em média, gastamos mais de 5 anos das nossas vidas nas mídias sociais.

Quer alcançar o mundo com a mensagem do Evangelho? Quer divulgar os valores da cosmovisão cristã? Quer criar conversas a respeito das implicações da eternidade, do pecado e da redenção? Basta usar a internet.

NA PRÁTICA

— Use as ferramentas do Facebook para ‘patrocinar’ suas postagens no Facebook para alcançar o máximo de visualizações. É melhor ter poucas postagens bem divulgadas do que dezenas de postagens com poucas interações.
— Use uma linguagem que possa ser entendida por pessoas que nunca pisaram em uma igreja.
— Em média, as pessoas gastam 50 minutos por dia no Facebook. Então crie conteúdos curtos, que podem ser lidos ou assistidos dentro de 1 — 4 minutos.
— Dê prioridade aos temas relevantes. Na sua cidade, há milhares de pessoas lidando com dor, dúvida e desespero. Quando possível, crie textos que vão ao encontros dos anseios do mundo secular.
— Crie conversas online que podem continuar offline. Coloque o endereço da igreja / ministério, os horários de aconselhamento, etc. Comunique sua disposição de fazer uma visita na casa da pessoa.
— Compartilhe os esboços dos seus estudos bíblicos com outros pequenos grupos / ministérios que estão a procura de materiais prontos.
— Ouça. Se o mundo gasta 50 minutos por dia no Facebook, o que estão dizendo? Sobre direitos humanos, sobre justiça, sobre padrões éticas? Quais são suas premissas?
— Tenha uma voz. Se calamos, damos ainda mais lugar aos debates infrutíferos dos ‘teólogos da internet’ e as heresias dos pregadores de prosperidade. Mostre ao mundo o que é uma dialogo coerente e gracioso.

O MAL USO

A internet é uma ótima ferramenta — mas um péssimo substituto da igreja local. A ideia que recomendo aqui não é incentivar a criação de “igrejas virtuais”. Não podemos sugerir que a mera interação online é um substituto saudável do discipulado que acontece nas igrejas.

Antes, a recomendação aqui é que você seja intencional no uso da internet. Invista tempo e dinheiro com a internet da mesma forma que você investiria em banners, folhetos ou revistas. Em teoria, podíamos alcançar 20% do mundo usando apenas uma conexão de internet.

A PERGUNTA

Muitas pessoas já usam a internet para convidar pessoas até suas igrejas para lá ouvirem o Evangelho. Isso é ótimo. Mas nossa estratégia também deve responder a pergunta, “Como levar o Evangelho pregado na minha igreja até a internet?”

Se Satanás tomasse conta de uma cidade inteira

Como seria se Satanás de fato tomasse conta de uma cidade inteira?“, pergunta Michael Horton em um artigo publicado no seu blog White Horse Inn. Talvez nós imaginaríamos uma cidade tomada por violência, com prostitutas em cada esquina, igrejas sendo fechadas a força e seus membros aprisionados.

Mas Horton cita o Rev. Donald Barnhouse que, no seu programa de rádio nos anos 50, fez a mesma pergunta ao seus ouvintes. Sua resposta? Uma cidade governada pelo próprio Satanás teria ruas limpas e cidadãos educados. Pornografia seria banida e casas noturnas seriam fechadas. Xingamentos seriam proibidos. As crianças aprenderiam a tratar os mais velhos com respeito. E aos domingos, o povo enchia as igrejas. . . aonde Cristo nunca seria pregado!

A ilustração pode ser provocante mas destaca que uma das maiores ferramentas usadas por Satanás é a distração. Tornar os homens tão acomodados, tão seguros que o mal foi vencido, que nem sentiriam falta da pregação de perdão, redenção e obra salvadora. Para enganar as multidões, tentaria fazer uma cópia do Cristianismo — mas sem Cristo.

Fazendo uma aplicação ainda mais cirúrgica, considere sua própria vida. Quando as coisas vão bem — as crianças são respeitosas, as contas estão sendo pagas, e temos uma aparência pública de piedade — como é fácil esquecer do arrependimento, da dependência, da graça, da gratidão, do amor fraternal, da humildade!

Repetimos o pecado dos fariseus. Distraídos com os frutos visíveis da religião, os fariseus esqueceram dos fundamentos da religião. Ser resgatados da sua ‘vã maneira de viver’ (1 Pedro 1.18)? Pra que? As coisas estão indo tão bem! E assim caminhavam — tranquilos, confiantes, e visívelmente bem — para a destruição da alma.

Desligue e Dedique

O pastor norte-americano Garret Kell comentou o hábito saudável de um amigo pastor. Quem ligar para seu celular depois das 18h ouvirá esta mensagem gravada: “Obrigado por ligar. Deixa uma mensagem – mas se for depois das 18h, saiba que estou com a minha família então não espere um retorno ainda hoje. Em caso de emergência, ligue para minha esposa.”

O pastor só retorno as ligações na próxima manhã.

Foi a atitude que ele acreditou ser necessária para que pudesse ensinar sua congregação – e a si mesmo – o quanto é importante estar focado nas necessidades de sua família.

Ele desliga o celular para poder dedicar-se a sua família. Ele está ausente para alguns para estar presente com outros.

BABÁS ESPIRITUAIS

O que acontece é que muitos membros enxergam seus pastores como “babás espirituais” que devem estar presentes 24h por dia. Quando, na verdade, o único Pastor onipresente é Aquele que não dorme, não cansa e não tem “outra família” para cuidar. Foi Jesus — e não os pastores — que prometeu “Estarei convosco todos os dias, até o final dos tempos”.

IMPLICAÇÕES

Como isso ressalta a necessidade de uma pluralidade de liderança nas igrejas. Quando todo o peso do ministério recai sobre os ombros de uma só pessoa, ele geralmente abrirá mão de suas responsabilidades familiares para achar mais tempo para suas responsabilidades ministeriais.

Vale lembrar aquele velho ditado: “Deus cuidará da sua noiva – e os homens deverão portanto cuidar das suas.” Se Deus te deu uma esposa, Deus te chamou a criar sua família e confiar o rebanho nas Suas mãos. O chamado ao pastoreiro não pode contrariar seu chamado a ser um marido fiel.

A história do missionário William Carrey é conhecida por muitos como sendo um modelo de coragem e dedicação na obra ministerial. De fato, seu trabalho na India e nas traduções da Bíblia foram monumentais. Mas sua familia foi uma tragédia. Na sua biografia são descritas as muitas vezes que, motivado por um profundo senso de dever, William viajava ao redor do mundo, deixando em casa sua esposa gravida para cuidar dos filhos. Quando adolescentes, seus filhos foram “como tigres”, sem terem um pai presente, chegando ao ponto de um amigo William Ward intervir e ser um “pai substituto”.

Se conseguimos anunciar o amor de Deus ao mundo, mas não conseguimos demonstrar amor intencional as nossas famílias — precisamos rever nossas prioridades.

DESLIGUE E DEDIQUE

Neste mundo que nunca para, nossos telefones podem sugar toda a nossa atenção, ainda que, daqui uma geração, nossos telefones não terão a menor significância. Mas nossos filhos sim, nossos casamentos sim, nossas famílias sim.

O Tamanho Imenso de uma Palavra Pequena

A palavra TODO tem apenas quatro letras, mas ela se estende desde a eternidade passada até a eternidade futura.
 
TODO o amor de Deus tem sido derramado sobre nós em Cristo. Deus nos ama o mesmo hoje como nos amará daqui 10 bilhões de anos.
 
TODOS os nossos pecados foram perdoados. Desde os pecados esquecidos e invisíveis até aos pecados mais podres e públicos.
 
Temos TODA a confiança ao chegar perante o Trono divino. Somos totalmente aceitos na presença do Soberano, apesar da fraqueza da nossa fé ou a tolice das nossas orações.
 
Deus opera TODAS as coisas para nosso bem e para Sua glória. Até a dor mais profunda, a perda mais cruel ou a dúvida mais persistente. TODAS elas produzirão frutos mais belos do que a tribulação nas quis foram plantadas.
 
TODA a obra da salvação é garantida. Cristo exclamou na cruz, “Está consumada!” e sua frase ecoa por TODA a eternidade.
 
Nosso Deus é o único Deus TODO-poderoso. TODO o controle está nas suas Mãos. TODA a vida está nas suas Palavras. TODA a verdade lhe pertence.
 
TODO nosso ser está escondido em Jesus Cristo. Sua justiça nos cobra totalmente. Não há um centímetro que não seja coberta pela sua redenção.
 
Teremos TODA eternidade para celebrar a Trindade — e celebrar *com* a Trindade — que nos amou com um amor “que excede TODO o entendimento” (Ef 3.19).
 
——
 
Sabe qual é a maior diferença entre o Cristianismo genuíno e todas a seitas do mundo? Somente o Cristianismo proclama a imensidão da graça divina.
 
Para as seitas, a salvação precisa da mediocridade humana para se completar. Desde os Mormons até as Testemunhas de Jeová, a obediência do seguidor de certa forma compensa as incompetências do suposto salvador. Para eles, Jesus Cristo não é totalmente Deus, e logo não pode ser totalmente poderoso, e logo não pode cumprir todas as exigências da obra redentora. Sempre sobra alguma coisa para o homem arrumar.
 
Em contraste, o Cristianismo bíblico adora aos pês do Deus que TUDO fez.
 
Meu irmão, minha irmã: se sua fé está em Jesus Cristo, saiba que TUDO já foi feito, TODA promessa será cumprida, e TODA a eternidade será gloriosa porque “Cristo é TUDO, e em todos” (Col 3.11).

A Criatividade e o Reino de Deus

Se o conteúdo da nossa mensagem é a Verdade eterna, importa se o formato dela — o design, o layout, as cores, a escrita — é belo?

De certa forma, não. O Evangelho é como água para a alma sedenta. Para quem está com sede, de pouco adianta se as instruções para encontrar água são desenhadas com mil cores ou rabiscadas. A ele só interessa como saciar sua sede.

Entretanto, facilmente esquecemos que somos representantes de um Reino que não é deste mundo. Servimos o Rei que desenhou os céus, pintou as marés e compôs o trovão. Sua criação é saturada por beleza porque sua glória é bela. E a imagem do Criador foi carimbada em nós. Também queremos criar algo que dure, que faça a diferença, que cativa os olhos e satisfaça a alma. É ali que nasce a criatividade.

Certa vez, em uma feira de livros em São Paulo, visitei o estande de uma pequena gráfica que produzia alguns títulos selecionados. As capas dos seus livretos eram confusas: fontes de difícil leitura, imagens clichés, e títulos & subtítulos que pareciam ser extraídos de um TCC apático. Para esta gráfica, tornar as publicações mais atraentes seria uma forma de mundanismo. Já que é o Espírito que vivifica, porque procurar agradar os olhos dos seus leitores? Ao seu ver, a falta de atração devia ser o mais atrativo.

Estão certos que nosso mundo é tomado por uma vaidade que foca somente na aparência. Tudo é embrulho, nada é conteúdo. Entendo o receio deles.

Mas será que podemos escrever acerca daquele que criou a beleza sem procurar usar palavras belas? Como pintar um belo quadro sem usar belos traços? Se ele criou o canto dos pássaros e os tons do pôr do sol – como podemos falar dele sem usar alguns elementos daquilo que Ele criou?

Visto dessa forma, nossa apresentação do Evangelho deve sim ser bela. Não complicada, não desnecessariamente extravagante. Mas simplesmente bela.

Para anunciar o Evangelho, é claro que o Espírito Santo pode usar tanto o berro de um jumento como também um coral de crianças – mas qual você prefere ouvir, e porquê? Um cativa os sensos e cativa o coração. Ambos produzem sons que não podem ser ignorados mas somente um inspira seu ouvinte a replicar o som!

Precisamos de vocês, designers, fotógrafos, músicos, artistas, webmasters, escritores, contadores de histórias – criadores! Suas criações são úteis ao Reino de Deus. Elas são vislumbres da ordem, magnitude e beleza da criatividade divina.

Ajude-nos a lembrar que o papel do homem é cantar as notas da grandeza de Deus que Ele escondeu na simplicidade da beleza.

O SUPER-HOMEM TÍMIDO E VOCÊ

Imagina o Super-Homem vendo um ônibus desgovernado, cheio de turistas, rumo a um penhasco. Ele escuta os gritos. Ele reconhece o perigo. Ele pode agir.

Mas ele é tímido. Então faz nada.

Aliás, ele faz alguma coisa sim: ele dá as costas e caminha na direção oposta. Afinal, o que os olhos não vêem, o coração não sente.

Se fosse qualquer outro cidadão, não sentiríamos tanta raiva da sua atitude. O que um mero mortal pode fazer perante um ônibus em alta velocidade e sem freios?

Mas ele é SUPER-HOMEM puxa! Ele tem a solução! Porque guardar para si tamanho poder? Porque manter em segredo aquilo que aquelas pessoas desesperadas tanto precisam?

Da mesma forma, porque somos tão tímidos na evangelização? Se nosso Deus é o único Deus verdadeiro, se a vida eterna é somente pelo nosso Senhor Jesus Cristo, se a salvação só é possível através da fé em Jesus Cristo, se a fé só virá se alguém compartilhar o Evangelho….se, se, se, se…..Se tudo isso é verdadeiro — porque guardamos o Evangelho em segredo?

Só pode ser porquê, no fundo dos nossos corações, duvidamos que Deus julgará o pecador, que Cristo salvará o arrependido, que a Santa Trindade cobrirá aquele que crê com misericórdia cristalina e preciosa. Duvidamos o que a Escritura diz acerca da majestade do amor de Cristo, da profundeza da perdição dos homens, da maravilhosa transformação que o Espirito Santo faz no condenado.

Duvidamos do poder do Evangelho e por isso temos receio de obedecê-lo. Nos contentamos com a rotina do Cristianismo ao invés de nos aprofundar na sua beleza.

Por que sou cristão em pleno século 21?

Veja, comparada com as outras crenças, o Cristianismo não é a única que defende valores morais, faz obras de caridade ou cita versículos bíblicos. A luta por uma sociedade mais justa não é exclusividade dos cristãos.

Existem milhares e milhares de pessoas que não confessam a fé cristão e nem por isso são bandidos ou assassinos. São pessoas esforçadas, que trabalham em prol de suas famílias e comunidades.

Sem contar que os próprios cristãos cometem erros e pecados apesar de suas declarações de fé. Os pecados que nos assolam – a ganância, a arrogância, a falta de compaixão – também afligem aqueles que se dizem filhos de Deus.

Por que então – em pleno Século 21 – sou cristão?

Sou cristão por um motivo somente:

Há 2 mil anos, Jesus Cristo ressuscitou. E só.

As profecias diziam que ele era Deus. Suas obras diziam que ele era Deus. Ele dizia que era Deus. E muitos acreditaram. Mas muitos duvidaram também.

E ele morreu. Sua respiração parou, seu corpo esfriou, seu sangue, derramado, manchou sua pele.

Um seguidor rico colocou seu corpo dentro de um sepulcro. Fecharam uma grande pedra sobre a entrada. Vários soldados romanos fizeram a guarda. A punição caso o corpo fosse roubado pelos “discípulos extremistas”? Morte!

E ninguém queria morrer naquela noite. Nem os soldados romanos, e nem os discípulos. Ambos viraram a noite acordados.

Só havia um judeu disposto a morrer aquela noite e ele já estava morto. O próprio Jesus Cristo. Ele havia lembrado seus discípulos, repetidas vezes, que ele seria morto. E também dizia que ressuscitaria no terceiro dias.

Ele de fato morreu. E, depois, ele de fato ressuscitou. Em um instante, seu coração voltou a bater e seu sangue voltou a correr pelas veias.

Os soldados romanos estavam desesperados por suas vidas. “Não se preocupe,” disse os líderes religiosos, “volte para suas famílias. Tome um dinheiro para ficar quieto. E caso algum oficial Romano investigar o ocorrido, a gente avisa que alguns discípulos extremistas vieram de noite e roubaram o corpo.”

A verdade não podia vir à tona porque mudaria absolutamente tudo. Nunca alguém ressuscitou a si mesmo em cumprimento da sua própria profecia. Nunca alguém, dizendo ser Deus, demonstrou poder sobre sua própria morte. Nunca alguém cumpriu todas as profecias acerca de seu nascimento, seu ministério, sua morte e sua ressureição.

Na sua ressureição, foi confirmado tudo que ele havia dito acerca de si mesmo – e acerca de mim. Ele é Deus, e eu sou pecador.

Perante isso, só há uma resposta: Senhor meu, e Deus meu! Faço minhas as palavras do Tomé – aquele que duvidava, aquele que se isolava, aquele que precisou ver as feridas com os próprios olhos.

A quem devo minha adoração se não aquele que tem poder sobre mim tanto nesta vida como na próxima? A onde busco o perdão dos meus pecados se não naquele que tem poder tanto para perdoar como condenar?

Em pleno século 21, por que sou cristão? Porque ele vive. De eternidade a eternidade ele vive. E seu reino nunca terá fim.

Perante o Cristo ressurrecto, a pergunta é outra: como não ser seu discípulo?

A quem iremos nós se só ele tem as palavras da vida?

Heróis de Barro

Resumindo:

Adão pecou feio.
Noé pecou feio.
Abraão pecou feio.
Isaque pecou feio.
Moises pecou feio.
Josué pecou feio.
Sansão pecou feio.
Davi pecou feio.
Salomão pecou feio.
Jonas pecou feio.
Os profetas, os juízes e os sacerdotes também pecaram.
Paulo pecou, Pedro pecou, os discípulos pecaram. E as igrejas que eles ajudaram a plantar também pecaram.

As próximas gerações de cristãos também pecaram. Logo no 1° século, e depois no 2°, 3°, 4°, sim no século 16 também.

Só Jesus Cristo não pecou, mas tomou sobre si a feiura do nosso pecado.

MISSÃO IMPOSSÍVEL

E cá estamos no século 21 e ainda insistimos em cometer “idolatria santa” ao procurar algum herói da fé que possa ser o representante perfeito da doutrina, vida, ética e fé cristão.

Meu irmão, nenhuma cópia será mais santa do que o Original. Cristo chama todos os cristãos ao arrependimento. E por isso até nossos heróis da fé foram homens que confessavam sua necessidade de um Salvador. Caso fosse ao contrário, não precisariam de um Salvador.

IMPLICAÇÕES

1. Se vamos gloriar em alguma coisa, que seja no fato que Cristo teve misericórdia de nós – e hoje, neste instante, Ele nos ama com amor eterno.

2. Se seu autor favorito ou sua panelinha teológica te incentiva a tratar com desdém aqueles que não alcançaram “seu nível” de conhecimento, humildade, santidade ou dedicação – meu irmão, você precisa procurar outros livros e outros amigos.

3. O entendimento de um cristão deve crescer em formato de um círculo: ele começa confessando “Nada sei – preciso aprender” e após um tempo de aprendizagem termina no mesmo ponto!

4. Não devemos nos cansar na luta contra o pecado. Pois – se Deus ajudou os cristãos dos séculos passados – porque não nos ajudará?

5. Deus usa vasos de barro justamente porque o vaso é o que menos importa. Ele criou luz do nada, sem usar vaso qualquer. Se ele quis usar você, ou algum outro cristão, para expandir Seu reino, Ele fez isto para que Sua gloria resplandecesse. Vaso de barro não tem gloria. So tem barro.

6. Seja encorajado com o exemplo dos nossos pais na fé. Não te desanime se você descobrir seus muitos pecados. Antes, esteja disposto a se maravilhar que o Deus Trino quis manifestar um pouco da sua graça, verdade e amor a igreja através desses “heróis de barro”.

A Espera Daquela Pessoa Certa

Você está certo em esperar. O único problema é que existem muitas mais pessoas certas do que você imagina.

Porque moramos na cidade em que moramos? Ou trabalhamos no emprego em que trabalhamos? Ou congregamos na igreja em que congregamos? Ou compramos no supermercado em que compramos? É porque uma voz divina disse “Faça tal e serás abençoado“? Não. Tomamos mil decisões por semana porque temos liberdade para fazer tal. Deus nos conceda oportunidade + sabedoria, e nós confiamos os resultados às suas Mãos.

Quando se trata de casamento, Deus nos passa certos princípios — e dentro dessas características temos liberdade de escolha. Não podemos, por exemplo, casar com uma arvore e esperar que Deus abençoe o relacionamento. A Palavra de Deus é bem clara quanto ao tipo de pessoa que será um bom cônjuge. Mas nenhum versículo vai descrever a altura, cor dos olhos, idade, etc do seu futuro cônjuge.

Caso contrário, dos bilhões de pessoas existentes, haveria somente 1 pessoa com quem um relacionamento saudável seria possível. E sua missão dolorosa seria adivinhar quem é aquele único ser celestial que Deus escondeu no meio de milhões de seres imperfeitos. Que pressão terrível! Sob risco de passar seus dias rangendo seus dentes caso case com uma pessoa piedosa que Deus não havia separada para você!

“Ô angustia! Era para ter casado com a meiga Amnesia, mas casei com sua irmã Lucia, que é um amor de pessoa. Mas agora Deus não vai me abençoar NUNCA. Puxa — errei por tão pouco! Acertei o sobrenome, mas errei o primeiro nome.”

Talvez seja por isso que tantos jovens estão a procura de relacionamentos que não dão trabalho ou não dão DR. Assim como nos filmes, um relacionamento perfeito seria um sinal vindo do além que o casamento tem um “selo divino de aprovação” e que nenhuma dificuldade virão ao seu encontro.

Talvez nossos jovens esquecem que:

  1. Um relacionamento saudável é fruto da graça de Deus sendo derramada sobre a vida de dois pecadores. O relacionamento vai dar trabalho. Haverá dificuldades. Haverá frustrações. Se não fosse assim, não haveria a necessidade do derramamento da graça.
  2. Se você conhece uma pessoa cristã, que aparenta ser um servo fiel, saiba que você tem liberdade tanto para casar ou não casar com ela. Faça uso de tudo que Deus te deu: sabedoria, amizades, conselhos, reflexão, estudos bíblicos. Mas saiba que no final a escolha é sua. Assim como as milhares de escolhas que você ainda fará na vida. Procure fazer uma escolha sábia. Mas, por favor, não vai culpar Deus depois por suas escolhas.
  3. Independente da sua escolha, Deus continuará sendo fiel a Sua Palavra e aos seus filhos. Essa é uma das grandes promessas que Ele nos tem dado. Solteiro ou casado, rico ou pobre, na saúde ou na doença — Deus é fiel. E sempre será.