A maior família do mundo

O pecador regenerado por Cristo é adotado na família de Deus. As implicações são tremendas:

  • somos — literalmente — irmãos e co-herdeiros de Jesus Cristo (Rm 8.17,29)
  • o mesmo Espírito guia todos os filhos de Deus (Rm 8.14,15)
  • todos estão sendo conformados à imagem de Jesus Cristo (Rm 8.29)

» Ok, beleza. Isso é bastante interessante. Só que tem um problema: existem irmãos co-herdeiros que pertencem a outras denominações. Como devo trata-los?

Como Jesus tratou a família de Deus? “Pois o próprio Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir…” (Mc 10.45). Seguindo o exemplo do nosso Mestre, não devemos também servir nossos irmãos com amor, oração e comunhão, dispostos a lavar seus pés (João 13.14,15)? Não podemos amar somente de palavra ou de boca, “mas em ações e em verdade” (1Jo 3.18).

» Mas existem aqueles que dizem ser parte da família de Deus mas pregam heresias & vivem vidas indignas. Não devo ter cautela ao buscar ter comunhão com a família de Deus?

Sempre existem aqueles, como lobo em pelos de cordeiros, tentam abusar daquela comunhão em Cristo usufruído pela família de Deus. Não devemos fazer de conta que suas blasfêmias são encobertas (Rm 16.17,18) (Judas 1.4). Mas não podemos deixar de amar à maior família do mundo por medo dos impostores. Antes, nosso amor dará testemunho do quanto nosso Deus é verdadeiro (João 13.35), dando-nos confirmação “que já passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos” (1Jo 3.14).

» Mas e se alguns cristãos pisam na bola, aí fica feio para a família toda, não? Prefiro ficar mais a sós, tendo comunhão somente com os membros da minha igreja.

Pergunte a Cristo: Ele é o nosso irmão e co-herdeiro. Ele nos abandona cada vez que nossos pecados trazem vergonha a Seu Nome?