Amor de mãe de impressionante

Nós pais somos programados a sempre procurarem como “consertar” a situação. O bebê está chorando? Preciso de uma solução! Segura assim, cante assim, alimente assim, sai correndo pela casa frustrado assim. Algo tá fora do eixo – preciso resolver! Me dê as ferramentas que dou um jeito. E assim também quando o filho de 2 anos não quer comer, dormir ou assistir aquele desenho que até 5 minutos atrás estava assistindo em loop infinito. Rápido, rápido, preciso descobrir a combinação perfeita; seria bronca + tom de voz baixa + castigo? Ou talvez brincadeira + risada + bronca?

Mas mãe tem um jeito tudo diferente. Para elas, a solução não é um procedimento sistemático. Mãe sabe que criança não nasce com manual de instruções. A solução é nutrir. É encorajar. É conversar com aqueles dois olhos azuis que parecem entender tudo. A solução é não esperar uma solução imediata. É aguardar. É poder enxergar como os filhos serão daqui uma hora, 12 meses ou 20 anos. É estar sempre pronta para confortar, abraçar, ensinar, comemorar. É um tanto impressionante. Assisto a Sabrina de boca aberta. De onde surge tanta paciência, apesar das noites sem sono? De onde apareceu tanta calma apesar de estar frustrada? A fonte só pode ser o coração de mãe. É que nem bolsa de mulher. Cabe 10 mil coisas e ainda sobra espaço.

De todas as boas graças que Deus deu à humanidade, o amor de mãe deve estar entre os top 10.